"Eu entendo de solidão. Entendo como é tentar substituir a falta de alguém com outra coisa."

The Big Bang Theory.

"Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silêncio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove. E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar."

Cora Coralina.

"O coração funciona à medida das decepções que adquirimos ao passar dos anos, adoece e pede socorro quando ferido pela falta de saudade alheia. As pessoas de um modo geral insistem em botar o coração pra funcionar em dia de repouso, como criança que toma choque ao colocar os dedos na tomada e mesmo assim retorna, mesmo estando toda machucada, só pra tentar desvendar o que realmente acontece ali. Insistimos em bater à mesma tecla só pra ver se funciona, e cara, tecla quebrada não se conserta, compra outra.
A gente conserta o coração, mas esquece que toda ferida gera uma cicatriz, o coração perde a vontade de viver a cada batida motivada pela decepção do mundo, afinal, corações também adoecem e morrem."

Cuidei.

"Ela era do tipo que adorava cheirar flores. Ele era do tipo “não sou flor que se cheire”."

A Escritora de Bar.

"Acho que o amor não tem muita explicação, a não ser a seguinte: a gente precisa estar preparado para a chegada dele. Porque é difícil, é muito difícil amar. E dói. Não pense que ao encontrar o amor da sua vida os dias se transformarão em delícias sem fim. Dói. O amor de verdade dói. Ele arranha. Você fica com medo que um dia o sentimento te abandone. Isso causa dor. Dói. Eu insisto: dói. Não é um mar de rosas, depois que passa a fase inicial e você conhece os defeitos de trás para a frente, dói. É uma dor doce. Mas você não precisa da outra pessoa. Você gosta de como ela te abraça, te entende, te ouve, te beija, te olha. Você acha bonita a forma como ela mexe a colher dentro da panela, amarra o sapato, segura o guarda- chuva, tosse, liga a televisão. Só aquele tom de voz te tranquiliza, só aquele abraço te salva do caos de uma semana infernal. Você tem consciência que existem outras coxas, peitos, braços, pernas, olhares e cérebros no mundo. Você sabe que existem outras pessoas bonitas, atraentes e cheirosas no planeta. Mas só aquela te deixa com tesão. Tesão por tudo. Pela vida. Pela crença no amor de verdade. Pela vontade de juntar as escovas de dentes e as meias na gaveta. Pela magia que o amor traz. Pela rotina que o amor traz. Pela chatice que o amor traz. Porque o amor também é chato, um legítimo velho resmungão. O amor também é cheio de tédio. Mas se você sente que só aquela pessoa vale e merece essa dor que acompanha o amor, então é porque você ama com tudo o que você pode. E, aí sim, é que você está completamente livre. Livre para ser quem quiser. Para fazer o que tiver vontade. Para exercitar a sua solidão. A dois. Somando. Fazendo crescer."

Clarissa Corrêa.

"Tudo o que era mau atraía-me: gostava de beber, era preguiçoso, não defendia nenhum deus, nenhuma opinião política, nenhuma ideia, nenhum ideal. Eu estava instalado no vazio, na inexistência, e aceitava isso. Tudo isso fazia de mim uma pessoa desinteressante. Mas eu não queria ser interessante, era muito difícil."

Charles Bukowski. 

"O teu sorriso tem o caminho que eu quero seguir. E o teu coração tem o tamanho exato para aconchegar o meu. Teus olhos e abraços cativam-me quando me encontram. E o som da tua voz ao pé do meu ouvido, faz meu corpo inteiro estremecer. O teu jeito carinhoso, atencioso, adorável, amável sabem como me conquistar, todos os dias, de formas diferentes. É por isso que nunca me canso. E quero sempre mais do amor que só você pode me oferecer."

Plenitude.

"Eu aprendi que algumas vezes tudo o que precisamos é de uma mão para segurar e um coração para nos entender."

William Shakespeare.

"Tem ciúme que é fofo sim, confesso. Tem ciúme que de certa forma é gostoso sentir e dar altas gargalhadas por saber que aquele alguém jamais te substituiria. Mas tem ciúme que machuca, que silencia, que esfria tudo. Tem ciúme que ao invés de te despertar um riso pela certeza de que você jamais seria trocado, te derrama uma lágrima por não te dar tanta certeza assim."

João Pedro Bueno.